"Eu simplesmente sinto Com a imaginação. Sentir? Sinta quem lê!", Fernando Pessoa


segunda-feira, 21 de junho de 2010

Hoje não!

“a poet needs the pain...”, In These Arms, Bon Jovi
Talvez amanhã…
Talvez amanhã eu esqueça…
Hoje não
Hoje quero só recordar.
Talvez amanhã
As lágrimas cessem
Hoje não.
Hoje quero só sorrir ao imaginar como seria…
Talvez amanhã
O sol volte a brilhar
Hoje não
Hoje quero só que a escuridão me envolva para poder sonhar.
Talvez amanha
Eu seja capaz de voltar a ver o mundo
Hoje não
Hoje quero só ver o meu mundo.
Talvez amanhã
Eu seja capaz de ver que foi melhor assim
Hoje não
Hoje quero só lamentar-me pelo que poderia ter sido.
Talvez amanhã
Tudo mude
Hoje não tenho qualquer esperança.

[26/Fevereiro/2009]

2 comentários:

Ivan Bueno disse...

Oi, Diana.
Hoje sim para conhecer seu blog. Foi indicado no Facebook, como o meu que também te convido a conhecer e seguir.
Este seu poema-desabafo fala por uma forma de sentimento universal. Às vezes o que é possível é apenas manter-se imóvel diante de certos fatos, perdas, saudades. O amanhã é um ponto de interrogação. Gostei do "Hoje quero só lamentar-me pelo que poderia ter sido. / Talvez amanhã / Tudo mude / Hoje não tenho qualquer esperança."
Você falou por muitos nestas palavras.
Beijo grande,

Ivan Bueno
blog: Empirismo Vernacular
www.eng-ivanbueno.blogspot.com

Diana disse...

Olá Ivan.
Obrigada por visitar o meu blogue. Assim que os exames derem tréguas vou visitar o seu.

Diana